beggining

Iniciando os trabalhos

Hoje, 17 de maio de 2014, é uma data muito especial. Meu primeiro plugin foi publicado no repositório oficial do WordPress. Master IDs é um plugin muito simples. Sua função é a de oferecer um jeito facilitado de saber a ID de qualquer tipo de página ou post. O administrador apenas escolhe o Post Type desejado, dentre todos os que existem no site, e todos os posts correspondentes aparecerão em uma lista suspensa – ou “dropdwon menu” – com os seus títulos e IDs.

Mas a importância desse momento, para mim, não está relacionada à finalidade do plugin em si.

A data de hoje é especial porque significa a realização de um sonho que surgiu quando, cerca de dois anos atrás, eu descobri o WordPress, enquanto pesquisava soluções para oferecer conteúdo online aos alunos do curso do qual sou fundador.

Depois de rejeitar diversos orçamentos com valores irreais apresentados por agências que nem mesmo demonstravam ter tido alguma experiência prévia no universo de cursos online, conheci esse projeto opensource e gratuito chamado WordPress e resolvi investigá-lo mais a fundo. Na verdade, já tinha ouvido falar dele, mas achava que se tratava de ferramenta específica para blogueiros. Qual não foi minha surpresa quando soube que novas versões do WordPress não apenas transformaram-no em um verdadeiro sistema de gerenciamento de conteúdo,  como as extensões, denominadas de “plugins”, poderiam levá-lo a fazer tudo o que a mente mais engenhosa pudesse idealizar.

Não demorou muito até que, mergulhado por completo em pesquisas em blogs de especialistas, tutoriais, livros e tudo mais que eu encontrasse relacionado ao tema, o meu primeiro site, inteiramente montado por mim em cima da plataforma WordPress, estivesse no ar: o Tribcast, no qual, até hoje, eu ofereço a estudantes jurídicos acesso a aulas em vídeo através de assinatura. Depois de algumas restruturações, o Tribcast atualmente tem as suas funções básicas dependentes de dois grandes plugins: o Sensei, da empresa Woothemes, que atua como LMS (“Learning Management System” ou Sistema Gerenciador de Aprendizado), e o S2Member Pro, desenvolvido pela Websharks, que é um plugin que transforma o WordPress em um “membership site”, ou seja, em um site de assinaturas.

Mas não parei por aí. Ainda precisava de uma plataforma para venda de cursos online, a fim de levar o Master Juris para a internet. Muitos testes e pesquisas foram necessários até que encontrasse uma tema/plugin perfeito para o que precisava: o Academy, desenvolvido por um programador russo conhecido como Themex, que supria quase todas as funcionalidades que procurava. Aquilo que o Academy não oferecia, encontrei em plugins diversos – agenda de aulas, limitador de acessos, newsletter etc. – que instalei gratuitamente, comprei ou cujo desenvolvimento encomendei.

Ainda vou postar muito a respeito de todas as ferramentas que conheci ao longo desses dois anos, voltados quase que exclusivamente ao segmentos de cursos online. Como indica o título desse post, estou apenas iniciando os trabalhos.

Nenhuma dessas realizações, entretanto, enquadrava-se no desejo que, como iniciei dizendo, surgiu quando comecei a lidar com o WordPress. Sim, é fato que o objetivo inicial era desenvolver websites funcionais sem ter de pagar especialistas para tanto. E esse objetivo eu alcancei, não apenas criando os citados masterjuris e tribcast, como outros (redireito, picks). Mas tudo foi feito como a montagem de um quebra-cabeças: escolhendo peças que combinavam entre si e se encaixavam em cada um dos projetos, instalando-as, desinstalando-as, empacando, buscando soluções em fóruns e tutoriais disponíveis na net, pagando freelancers para aquilo que não conseguia resolver, botando no ar, corrigindo as imperfeições, aperfeiçoando o design e as funcionalidades etc. Foi difícil, mas qualquer um com disposição e paciência poderia ter feito, mesmo sem conhecimento algum de códigos de programação e linguagens web.

Enquanto tudo isso acontecia, crescia em mim o desejo de me tornar um desenvolvedor de plugins para WordPress. Nasceu como uma vontade, que era mais um sonho para alguém que desconhecia por completo o que era HTML, CSS, jQuery e PHP. Mas a ideia de criar funcionalidades novas para essa fantástica plataforma que é o WordPress me fascinava. E depois que passei a seguir desenvolvedores conhecidos nesse meio, como Pippin Williamson, Tom McFarlin, Justin Tadlock, Brad Vincent, entre outros, mesmo muitas vezes nada entendendo sobre o que diziam, acabei obcecado pela ideia de me tornar um deles.

Venho estudando muito desde então. Não há um tutorial sobre plugins para WordPress na internet que eu não tenha, de alguma forma, acompanhado. Comprei os melhores livros sobre o assunto. Já fiz cursos online de HTML, CSS, JavaScript, jQuery e PHP, em escolas pagas e gratuitas, como treehouse, codecademy, codeschool e nettuts.

Sei que ainda estou bem no começo da jornada. Não tenho pretensões de seguir carreira, nem me imagino competindo por clientes com adolescentes-geniais-que-nasceram-para-programar.  Sou estável financeiramente, tenho carreira própria na área jurídica, já passei dos quarenta e não tenho ilusão alguma. Quero me tornar um programador diletantista. Quero aprender o que puder e depois lecionar para meus filhos e  sobrinhos, pois acho que, no futuro deles, quem não souber pelo menos uma linguagem de programação terá dificuldades de se inserir no mercado de trabalho, qualquer que seja a área.

Vou postar o resultado dos meus experimentos com códigos (que espero possam merecer o qualificativo de “plugins”) no repositório oficial do WordPress , para que  qualquer um tenha a possibilidade de usá-los gratuitamente. E se algum dia me tornar um programador experiente e qualificado, quero poder submeter meus plugins a mercados tradicionais como o CodeCanyon ou o Mojo e ver se alguém se encanta tanto pelas funcionalidades por mim idealizadas a ponto de pagar por elas.

No fim das contas, se meu talento não me levar onde eu gostaria de chegar, ao menos terei utilizado partes do meu cérebro que estiverem adormecidas desde sempre. A ideia de retardar o mal de alzheimer não deixa de ser atraente…

E é por isso, em suma, que comemoro a aprovação do meu primeiro plugin pela equipe de review do wordpress.org.

Até o fim de 2014, minha meta é chegar a 5 plugins disponíveis no repositório oficial. Vou me esforçar para batê-la, postando todos os meus avanços aqui, nesse blog criado especificamente para essa aventura. Se eu tiver algum leitor, ótimo. Do contrário, servirá o blog de diário pessoal.

Sigo em frente.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s